Tratamento Para Celulite Orbitária

Causada por bactérias, a celulite orbitária deve ser tratada a base de antibióticos, sob supervisão médica.

Artigo publicado por Lilian Santana nas categorias: Tratamento

Adeus Celulite

Embora seja conhecida como celulite, a celulite orbitária não tem nada a ver com a que conhecemos: os inconvenientes furinhos que aparecem na pele dos glúteos, das pernas e das coxas, atingindo a grande maioria das mulheres. Por sua vez, a celulite orbitária é uma infecção ou inflamação que acomete a órbita, cavidade facial em que se inserem os olhos e os seus anexos (nervos, músculos, aparelho lacrimal e vasos sanguíneos), chegando a atingir também a região interna e externa dos olhos. A doença é causada por bactérias que colonizam a pele depois de uma pancada na região ou de uma infecção próxima como sinusite, abscesso dentário ou conjuntivite, mas não é contagiosa. Causando dor, deslocamento, inchaço e dificuldade para mover os olhos, a celulite orbitária é mais comum em bebês e em crianças entre os 4 e 5 anos de idade, mas o tratamento felizmente é rápido. Portanto, veja como funciona o tratamento para celulite orbitária:

tratamento-para-celulite-orbitaria

Como Tratar a Celulite Orbitária

O tratamento para a celulite orbitária é realizado com uma dose de antibiótico aplicada na veia por 3 dias. Os mais utilizados são o Vancomicina, o Ceftriaxona e o Amixicilina ou Clavulonato. Em seguida, o tratamento continua em casa, com a ingestão de antibiótico oral por mais 8 a 20 dias, dependendo da gravidade da infecção ou pela associação de outras infecções, como a sinusite, por exemplo. Além disso, são utilizados antipiréticos e analgésicos para aliviarem a dor e a febre. Em casos de abscesso orbitário, da compressão do nervo óptico ou da não melhora com o primeiro tratamento, é recomendada uma cirurgia para drenagem.

O Que Causa a Celulite Orbitária

A celulite orbitária acontece quando há microorganismos na região da órbita ou por causa da ampliação de uma infecção próxima ao local atingido como um machucado na região dos olhos; picadas de insetos; conjuntivite; sinusite ou abscesso dentário ou infecções na pele, nos canais lacrimais ou nas vias aéreas superiores. Com relação aos microorganismos, esses dependem da idade em que a infecção aparece, do estado de saúde de infecções prévias, mas os mais comuns são o Streptococcus pneumoniae, o Haemophilus influenzae, o Staphylococcus aureus, o Moraxella catarrhalis e o Streptococcus pyogenes.

Diagnóstico da Celulite Orbitária

Para ter um diagnóstico preciso da celulite orbitária, procure um oftalmologista, que deverá observar os sintomas e os sinais, assim como exames como hemocultura e hemograma para identificar o microorganismo e o grau da infecção. Além disso, poderá pedir uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética da face e das órbitas para identificar a extensão da lesão e a exclusão de outras causas possíveis.

Principais Sintomas da Celulite da Órbita

Os sintomas mais comuns da celulite orbitária são a vermelhidão e o inchaço dos olhos, a febre, a dor e a dificuldade de movimentação dos olhos; o deslocamento ou a protusão dos olhos, a dor de cabeça e a alteração da visão. Caso a infecção não seja tratada adequadamente, poderá se agravar, gerando complicações nos olhos como meningite, abscesso da órbita, perda da visão e até infecção generalizada e consequente morte do paciente.

Lilian Santana

Autora

Lilian Santana é formada em educação física e nutrição. Criou um blog para ajudar mulheres que enfrentam os mesmos problemas que ela já passou: os temíveis furinhos da celulite!



Escolhido Para Você

Adeus Celulite

Comente!




*Campos obrigatórios