Como Identificar o Grau de Sua Celulite?

Aprenda a identificar o grau da sua celulite para tratá-la adequadamente.

Artigo publicado por Lilian Santana nas categorias: Tipos

Adeus Celulite

Não existe uma mulher no mundo que não se preocupe com a celulite, mesmo porque ela já atinge cerca de 80% da população em todo o mundo. Há várias razões para que os buraquinhos apareçam: genética, má alimentação, sedentarismo, tabagismo, alcoolismo ou o excesso de gordura. Atualmente, a celulite é classificada em 4 níveis (ou graus) diferentes, sendo o 1 o mais ameno e o 4, o mais severo, que se torna, inclusive, caso de saúde e não somente de estética. Se você sofre com esse problema, saiba como identificar o grau da sua celulite corretamente para poder agir diretamente sobre ela.

como-identificar-o-grau-de-sua-celulite

Grau Normal

Caso você só consiga ver os furinhos ao apertar as localidades afetadas, respire aliviada, pois esse é o grau mais ameno que existe. Entretanto, se você não se cuidar, ele pode evoluir para os próximos níveis, até se tornar severo. Para tanto, invista na hidratação (tanto externa quanto interna), nas massagens linfáticas, nas atividades físicas e capriche na alimentação, que deve conter alimentos saudáveis e funcionais como verduras, legumes, frutas, sementes e oleaginosas. Por outro lado, retire de vez do seu cardápio os refrigerantes, os sucos de caixinha e os alimentos industrializados. E se fuma, largue o cigarro, que fará bem não somente para a sua pele, mas para todo o seu organismo. Quanto à bebida alcoólica, tente beber somente socialmente.

Grau 1

Graças ao acúmulo de gordura na parte interna das células, é possível notar um certo aumento de volume nas regiões afetadas provocado por uma leve dilatação das veias pequenas do tecido adiposo. Assim, os sinais ainda não são tão visíveis a olho nu e não há dores. Para evitar que o quadro se torne mais grave, invista em uma dieta saudável e nos exercícios físicos, nem que sejam caminhadas leves diárias.

Grau 2

As células dos tecidos mais externos da pele começam a ficar mais cheias de gordura, tornando-se inchadas. Além disso, as camadas mais profundas começam a sofrer a mesma alteração, o que torna possível enxergar as irregularidades na pele no tato, mas ainda não há dores. Para acabar com essa gordura concentrada nas células, é preciso aumentar a carga de exercícios físicos, principalmente os aeróbicos, para perder peso, além, claro, de manter a boa alimentação, que deverá ser recheada de proteínas e fibras para fazer a limpeza do organismo.

como-identificar-o-grau-da-celulite1

Grau 3

Nesse grau, há problemas na circulação sanguínea, o que causa a sensação de cansaço e de peso nas pernas. É aqui que aparecem os primeiros sinais do aspecto de casca de laranja porque há o endurecimento do tecido que sustenta a pele, a chamada fibrose. Dessa forma, as irregularidades na pele tornam-se mais aparentes, porém, sem dores. Para amenizar a celulite de grau 3, é necessário fazer tratamentos estéticos específicos além da drenagem linfática, que ajudará o organismo a eliminar as toxinas. E não pare com os exercícios físicos e com a alimentação balanceada e saudável.

Grau 4

Quando a celulite chega a esse grau, a pele torna-se dura, com várias depressões e ganha o aspecto acolchoado. Portanto, nem é preciso apalpar a região afetada para perceber os furinhos. Como as pernas ficam doloridas, inchadas, pesadas e há grande sensação de cansaço, é preciso procurar a ajuda de um especialista para amenizar esses sinais e ter uma vida mais normal.

Independente em qual grau se encontra a sua celulite, é muito importante você começar a agir o quanto antes para resolver o problema, e a principal coisa a ser feita é a prática de atividades físicas e uma dieta balanceada contra a celulite.

Boa sorte amiga!

Lilian Santana

Autora

Lilian Santana é formada em educação física e nutrição. Criou um blog para ajudar mulheres que enfrentam os mesmos problemas que ela já passou: os temíveis furinhos da celulite!



Escolhido Para Você

Adeus Celulite

Comente!




*Campos obrigatórios